Notícias



Após três meses, Vale retoma operações de trem entre Ouro Preto e Mariana

Depois de ficar sem operar por três meses, o Trem da Vale voltou a percorrer neste sábado (15) o trajeto entre Ouro Preto e Mariana, em Minas Gerais. A rota turística tinha sido interrompida devido a manutenções feitas pela empresa.

A história do percurso ferroviário entre as duas cidades remonta ao período imperial. As obras começaram em 1883 em Ouro Preto e a conclusão em Mariana ocorreu 31 anos depois, em 1914.

A demora se deveu, entre outros pontos, às dificuldades estruturais para a conclusão do percurso -a paisagem é composta por montanhas, quedas d’água, seis pontes e quatro túneis, percorrida em cerca de uma hora de passeio.

Neste domingo (16), o trem terá partidas de Ouro Preto às 9h e às 14h30 e, de Mariana, às 12h. A rota opera de quinta-feira a domingo.

Além das belezas naturais do percurso, construído a partir do século 19 e que tem 18 quilômetros de extensão, os turistas poderão ter contato nas cidades com outras duas locomotivas em exposição.

Em Mariana, há uma máquina exposta ao lado da estação ferroviária, fabricada na República Tcheca em 1949, que percorreu o trajeto entre 2006 e 2010, quando foi aposentada. Já em Ouro Preto, está exposta aos visitantes uma locomotiva alemã, a Brigardier, que foi usada na Primeira Guerra Mundial.

A Vale opera a rota desde 2006, depois de dois anos de restauro dos trilhos e das quatro estações do trajeto. À época, em valores nominais, o projeto custou R$ 47 milhões.

Nos carros de passageiros convencionais, a tarifa inteira custa em junho R$ 46 (só ida) ou R$ 66 (ida e volta). Já no carro panorâmico, os valores são R$ 70 e R$ 90, respectivamente. Em feriados prolongados, como o de Corpus Christi, os valores sobem.

Além dele, Minas Gerais tem outros trens turísticos em operação, como o existente entre São João del-Rei e Tiradentes.

INTERDIÇÃO

A rota turística explorada pela Vale nas cidades mineiras não tem elo com o trem regular de passageiros que a companhia opera diariamente entre Belo Horizonte e Vitória (ES).

Este, devido ao risco de rompimento da barragem Sul Superior, na mina Gongo Soco, em Barão de Cocais (MG), sofreu interdição parcial no trecho que passa nas imediações da mina.

A interdição na ferrovia completa um mês neste domingo e é válida por tempo indeterminado, de acordo com a Vale.

Quem parte da estação Belo Horizonte embarca em ônibus disponibilizados pela Vale e, de lá, é levado até a estação Dois Irmãos, em Barão de Cocais. As estações ficam cerca de 80 quilômetros distantes entre si. A partir dela, o passageiro segue a viagem por trem.

Já para quem faz a rota no sentido inverso, ou seja, Vitória-Belo Horizonte, o desembarque está ocorrendo na estação Dois Irmãos e o restante da viagem é feito por rodovia até a estação na capital mineira.

Fonte: Blog Sobre Trilhos



SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE TRANSPORTES FERROVIÁRIO E METROVIÁRIO DOS ESTADOS DA BAHIA E SERGIPE.
Rua do Imperador, nº 353 - Mares - Salvador-BA | Tel: (71) 3505-1263 - Tel: (71) 3505-1258
Diretoria de Comunicação: Guilhermano da Silva Filho | Jornalista: Rodolfo Ribeiro ( DRT/BA - 3452 )

SINDIFERRO. © 2021. Todos os direitos reservados.